A Microsoft resolveu participar de uma iniciativa da Linux Foundation para marcar os 20 anos do coração dos sistemas operacionais livres.

O objetivo da Linux Foundation era obter registros audiovisuais de usuários falando sobre sua relação com os sistemas operacionais livres de sua preferência. Entre eles, uma animação, de um minuto, foi postada pela empresa de Bill Gates.

Pincelando a rivalidade entre Linux e MS ao longo dessas duas décadas, a produção tenta terminar com um desfecho positivo, e a indagação: Microsoft e Linux?

Criado originalmente pelo programador finlandês Linus Torvalds em 1991, o Linux é o protagonista de uma das maiores rivalidades do universo dos softwares, opondo mais do que programas de computador, filosofias de trabalho.

De um lado, o proprietário – simbolizado por Bill Gates, o segundo homem mais rico do mundo na atualidade, e o primeiro por três anos, segundo a Forbes.

No outro lado, o software livre, que além de ser gratuito, é aberto para outros programadores – e tendo o simpático pinguim Tux como mascote.

Um dos pontos altos da rivalidade, abordados em parte na animação da MS, são documentos vazados em 1998.

Os documentos continham explicações sobre a filosofia open source, estratégias para não perder mercado, e até comparavam os desenvolvedores de código aberto com Robin Hood.

Ao passar de duas décadas, o que era encarado como “coisa de estudante” saiu do obscurantismo das operações via terminal de texto, tornou-se amigável aos usuários finais, ganhou força comercial e hoje é o núcleo dos negócios de empresas como Red Hat e Canonical.

Como disse o diretor executivo da Linux Foundation, Jim Zemlin, em abril, MS é coisa do passado.

“Acho que hoje a gente (Linux) simplesmente não dá mais bola pra eles (Microsoft). Eles já foram nosso grande rival, mas hoje é como chutar um cachorrinho”, disse Zemlin, ao site.

Hoje, defende Zemlim, empresas como Facebook, Google e Amazon usam Linux nos servidores.

Além disso, o Android, grande competidor da Apple nos dispositivos móveis atuais, segue o modelo aberto, enquanto a Microsoft amarga uma das últimas posições no mercado de smartphones.

O sucesso do Linux em servers e smartphpones, no entanto, não se reflete nos PCs. Quase nove em cada 10 computadores no mundo, hoje, rodam Windows, revelam dados da NetApplications.

“Esse é um mercado que está perdendo relevância a cada dia”, consola-se Zemlin.

Abaixo, você confere o vídeo da Microsoft enviado à Linux Foundation.