Tamanho da fonte: -A+A

A SAP foi condenada a pagar US$ 1,3 bilhão à Oracle por roubo de software. O valor da indenização é quase 15% do valor total pago pela SAP na compra da Business Objects, em 2007, um dos últimos grandes negócios da empresa alemã.

O veredito foi adotado em primeiro instância num tribunal federal da Califórnia. A SAP ainda pode recorrer ao juiz do próprio caso ou a uma instância superior.

Segundo a agência Reuters, a indenização supera em muito a estimativa da SAP, e já refletiu sobre a Oracle, cujas ações subiram em 1,5% no pregão da terça-feira. Ao mesmo tempo, os papéis da SAP nos Estados Unidos caíram em 1,4%.

"É claro que estamos decepcionados com a decisão e estudaremos todas as opções disponíveis, incluindo petições pós-julgamento e recursos, caso necessário", afirmou a SAP em comunicado.

Os advogados da Oracle classificaram o veredicto como a maior indenização já concedida em um caso de violação de direitos autorais.

Durante o processo, a SAP reconheceu que a subsidiária TomorrowNow, comprada em 2005 pela multinacional alemã, havia feito download indevido de milhões de arquivos da Oracle.

Trabalhadores da subsidiária da SAP TomorrowNow teriam se apropriado do banco de dados da Oracle e roubado informações usadas para prover suporte aos seus clientes. O objetivo seria oferecer um serviço de suporte mais barato.

Com essa admissão de responsabilidade, a questão colocada em consideração pelo júri era o valor da indenização.

A SAP propunha não mais de US$ 40 milhões, enquanto a Oracle solicitava um mínimo de US$ 1,65 bilhão.

Embora a SAP possa recorrer, disse David Boies, advogado da Oracle, isso aumentará a possibilidade de um novo julgamento do caso. "Se eu fosse a SAP, não estaria certo de que desejaria arriscar novo julgamento", disse Boies.

O capítulo mais recente do drama judicial se estendeu por três semanas, mas a remonta a 2007.