Tamanho da fonte: -A+A

A Justiça Federal do Paraná (JF-PR) reduziu de 100 para 40 os servidores de seu parque com um projeto de virtualização assinado pela curitibana Zeittec e que, até agora, já reduziu em 40% o consumo de energia no órgão, que projeta migrar, até o fim deste ano, toda a estrutura para a nuvem.

O projeto é baseado em tecnologias de infraestrutura de rede da Attic, Furukawa e IP Metal, distribuídas pela Delta Cable.

Conforme Carlos René dos Santos Bascunan, técnico judiciário da Seção de Redes e Infraestrutura da JF-PR, a média de 40% não foi verificada só em economia energética, mas também de custos operacionais.

Além disso, a renovação do data center agilizou os processos administrativos, já que unificou a comunciação entre usuários de todas as 16 unidades da Justiça Federal espalhadas pelo Paraná.

“Virtualizadas, as aplicações não ficam restritas a um único computador, otimizando o trabalho. E os usuários nem percebem que estão compartilhando recursos”, destaca Bascunan.

Os investimentos no novo data center incluíram infraestrutura de rede e de backbone óptico Furukawa, com instalação de 540 pontos de cabeamento metálico em categoria 6A, 2160 pontos de cabeamento metálico 5e, 84 MPO (Multi-Fiber Push On) – totalizando 1008 fibras passadas -, além de 1,5 mil metros de cabos ópticos para cabeamento vertical e 44 distribuidores internos ópticos (DIOs), com 1056 portas.

A implantação, pela qual a Zeittec respondeu após vencer a licitação no segundo semestre de 2010, incluiu, ainda, racks ITMAX da Furukawa e racks de servidores Attic e IP Metal.

O sistema de energia do data center foi projetado pela própria Zeittec, e, segundo Claudenir de Oliveira, diretor de Negócios da companhia, garante a redundância de circuitos elétricos estabilizados para cada servidor.

A solução se baseia em no-breaks de 80KVA e sistemas de monitoramento, Circuito Fechado de TV (CFTV) e de controle de acesso.

Conforme Oliveira, o data center também conta com redundância completa, operando em rede local a 10 GbE para distribuição de acesso aos usuários internos.

Já em rede de longa distância (WAN), a estrutura opera com links de operadoras de telecom em velocidades de 2, 4 e 8 Mbps para acesso pelos usuários de todas as 16 unidades da Justiça Federal espalhadas pelo estado.

Obra
A renovação do data center começou pela construção de uma nova sala, de 75 m2, instalada na também recentemente instaurada nova sede da Justiça Federal do estado, em Curitiba.

Houve, ainda, investimento em sistema de biometria digital.

Assim como o ambiente de câmeras de acesso, este sistema é interligado ao NOC (Network Operation Center), ao Departamento de Informática e às Salas de Telecomunicações do órgão, para distribuição de acesso em cada um dos oito andares das duas torres de edifícios da sede.

“Buscávamos uma solução definitiva neste projeto, que permitisse prever futuras expansões sem perder o legado”, comenta Bascunan. “E estamos satisfeitos: da licitação até hoje, tudo flui muito bem, não temos do que reclamar”, finaliza.

Selo Verde
Com a eficiência energética conquistada, o novo data center da Justiça Federal paranaense também recebeu o Selo Verde do  Programa Green IT da Furukawa.

Além de adotar novos equipamentos da companhia voltados à economia de energia, a obra também contou com reciclagem de cabos e componentes de geração anteriores.

No total, foram 140 kg de materiais, que serão transformados novamente em matéria-prima para aproveitamento por outras indústrias, segundo divulgado pela Furukawa.