A JME prepara-se para crescer 32% em 2009. Deste total, dois terços deverão vir da área de franquias: atualmente, a empresa de Porto Alegre especializada em TI para o setor de saúde possui franqueados no Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Piauí, mas pretende conquistar ao menos dois novos canais ao longo do ano, um em Minas Gerais e outro na região Norte.

Com isso, a meta é prospectar os mercados locais para crescer 40% nos próximos dois anos, segundo o presidente da JME, Jorge Branco.

“Encerramos 2008 com abrangência nacional e superando em 12% as metas alcançadas em 2007: nossa expansão foi de 27% no faturamento e 31% em contratos”, conta o executivo.

Outra medida da companhia porto-alegrense para crescer é o foco em uma parceria mantida com a catarinense Benner Sistemas.

A aliança, que envolve a integração de produtos, já rendeu à JME clientes como o SAMEL - Serviço de Atendimento Médico Hospitalar, de Manaus. Especializada em planos de saúde, a organização alavancou a participação da empresa gaúcha no Norte do país.
 
Por fim, a companhia de Porto Alegre comemora, ainda, a participação no Programa de Desenvolvimento de Sistemas para Redes Neurais para Avaliação de Contas Hospitalares.

A iniciativa, que tem como objetivo desenvolver a TI em ações cooperadas entre empresas e centros de pesquisa, conta com apoio do Ministério de Ciência e Tecnologia e verba de R$ 580 mil concedida pela Finep. “Participar deste projeto amplia nosso diferencial frente aos concorrentes”, garante Branco.

Há mais de 20 anos no mercado, a JME mantém filial em São Paulo e desenvolve produtos que atendam ao padrão TISS (Troca de Informações em Saúde Suplementar), estabelecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para controlar o registro e exportação de formulários eletrônicos de faturamento no padrão obrigatório para transferência de informações entre prestadores e operadoras.

O portfólio da companhia conta com o SIS HOS - Solução completa para Gestão Hospitalar e o já citado SIS SAP. Juntas, as soluções somam mais de 100 hospitais clientes em todo o país.

Bom negócio
Crescer com franquias é uma boa ideia, segundo dados do Sebrae: uma pesquisa feita pela organização em 2008 apontou que, enquanto 28% dos negócios próprios fecham as portas em até dois anos, para franqueados este número cai para menos de 5%.

Além disso, o mesmo estudo demonstra que, há exatamente um ano, o mercado brasileiro de franchising contava com 1.013 marcas, sendo 89% deste total construído por marcas nacionais, de acordo com a Associação Brasileira de Franshising (ABF).

Além disso, no ano passado o setor teve crescimento em torno de 10%, em movimentação de receita, sobre 2007, quando foram registrados R$ 39,8 bilhões.

No ranking dos setores mais procurados para franquias, a ABF indicava, em 2008, a Informática (ao lado de Comunicação e Eletrônicos) em 4o lugar, com 10% das preferências. Os primeiros colocados são Alimentos, com 20%; Beleza & Saúde e Produtos Naturais, 15%; e Educação e Treinamento, 13%. Em 5o lugar vinha o setor de Móveis, 9,5%, seguido por Acessórios Pessoais e outras áreas menos procuradas.