Tamanho da fonte: -A+A

Das seis empresas que participaram na disputa pelo pregão da telefonia do governo federal, que Intelig e Oi foram as vencedoras, somando R$ 42,1 milhões.

O valor representa uma economia de 36,38% do valor de referência, graças à economia de escala, usando um mesmo pregão para serviços a ministérios, unidades ligadas à Presidência da República, autarquias e fundações.

Foram seis companhias disputando o leilão.

O primeiro e o terceiro lotes ficaram com a Intelig. Eles dizem respeito a ligações feitas a partir de PABX. A oferta foi finalizada em R$ 31,719 milhões.

A mesma empresa ficou com o lote relativo a chamadas de longa distância nacional e internacional, nesse caso por R$ 7,538 milhões. No segundo lote, destinado a chamadas feitas de linhas diretas, o melhor lance foi apresentado pela Oi – R$ 2,889 milhões.

Os contratos são por um ano, mas poderão ser prorrogados por até quatro.

Segundo o Ministério do Planejamento, o resultado ainda não é definitivo. Os vencedores ainda devem comprovar a viabilidade de suas propostas com os preços declarados e enviar à pasta toda a documentação exigida no edital.

Caso não haja recursos, o governo adjudicará o objeto da licitação, reconhecendo o direito das operadoras vencedoras.

Passada essa fase, o processo será homologado e enviado para publicação no Diário Oficial.

Dados da consultoria Teleco indicam que a Oi é a maior operadora com market share fixo no Brasil, captando 47,7% do mercado no quarto trimestre do ano passado, último dado disponível conforme dados da consultoria, das operadoras e da Anatel.