Tamanho da fonte: -A+A

A Huawei contratou para a posição de gerente de ciber segurança o inglês John Suffolk, que até o final de 2010 exerceu o cargo de CIO do governo do Reino Unido.
 
Suffolk vai morar na sede da multinacional chinesa, em Shenzhen, reportando diretamente ao fundador da Huawei, Ren Zhengfei.
 
A companhia é a segunda no ranking de fabricantes de produtos de telecomunicações atrás somente da Ericsson, com vendas anuais de US$ 28 bilhões.
 
De acordo com nota da Reuters, a empresa tem contratado ativamente estrangeiros de altos níveis da administração pública e iniciativa privada como uma forma de ampliar sua presença global.
 
Analistas ouvidos pela agência de notícias apontam que a estratégia visa diminuir as dificuldades da Huawei de fechar negócios nos Estados Unidos, onde as conexões de Ren com os militares e seu passado como oficial do exército chinês são vistos com desconfiança.
 
No começo do ano a Huawei teve que abandonar a compra da companhia de tecnologia de servidores da 3Leaf por pressões do governo americano.
 
Resistência no Brasil
O modelo de negócios da gigante chinesa de telecomunicações também gera reações aqui no Brasil, onde concorrentes locais apontam o favorecimento do governo chinês aos asiáticos.
 
Em julho do ano passado,  Parks, Digitel, Datacom, Gigacom, CPQD, ASGA, WXBR, Trópico, Icatel e Padtec formaram um consórcio que tinha entre seus objetivos declarados evitar que companhias como Huaewi e ZTE abocanhassem todos os contratos do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).