Tamanho da fonte: -A+A

Quem compra um iPad 3G hoje, e assina um dos planos de dados disponíveis, pode acabar desembolsando o equivalente a um iPad novo ao final de 12 meses.

Levantamento realizado pelo Baguete Diário, com base nos preços divulgados pelas operadoras, mostra que um iPad conectado 100% do tempo não sai por menos de R$ 2.737,85 em um ano, incluindo o preço do aparelho.

Um plano com 1 GB na operadora britânica O2 custa 7,50 libras (cerca de R$ 20) por mês. Em 12 meses, hardware e dados terão custado R$ 770 aos britânicos.

“Um dispositivo desses chega no Brasil com o peso tributário sobre eletrônicos e com a carga de 40% de imposto sobre os serviços de telecomunicações”, ressalta José Luis de Souza, um dos diretores da consultoria Teleco.

Disponível a partir desta sexta-feira, 03, em redes varejistas, o aparelho é comercializado com duas opções de conectividade: Wi-Fi e Wi-Fi + 3G.

Na primeira, o acesso à internet, e o uso de aplicações que dependem da conexão, ficam condicionados a ambientes com rede sem fio. Já a segunda, garante a navegação a qualquer momento, de acordo com a qualidade do serviço da operadora.

Planos para pegar carona no iPad
Dribladas na comercialização do aparelho, restou às teles oferecer pacotes de planos de dados exclusivos, buscando atrair clientes.

Entre as quatro maiores do mercado brasileiro, apenas a TIM não informou, até a publicação desta matéria, se terá uma oferta especial para o tablet da Apple. Nas outras, as opções de pacotes variam de 250 MB a 10 GB mensais, com preços que vão de R$ 59,50 a R$ 199,90.

Um dos pacotes mais acessíveis, e com um volume de dados razoável, é o Velox 3G da Oi, que oferece 2 GB por R$ 59,50 ao mês. Ao final de um ano, o cliente terá desembolsado R$ 714 só com o plano.

Somado o aparelho, o gasto anual com o Velox 3G vai de R$ 2.763 a R$ 3.313, dependendo da capacidade de armazenamento do iPad. É o pacote mais barato, com franquia de dados superior a 1 GB.

A Oi é a quarta maior operadora do Brasil, com 19,35% de market share, segundo dados de outubro de Anatel.

No caso da líder de mercado, Vivo (que tem 30,03% do mercado), os planos são mais salgados. O pacote de 1 GB custa R$ 89,90 por mês – com desconto de 50% na primeira fatura dos novos clientes. Ao final de um ano, com a promoção, o gasto é de R$ 1.033,85. A empresa fechou parceria com redes varejistas para comercializar seu chip já nas lojas.

O plano mais caro da Vivo, 8 GB por R$ 199,90, leva a conta para R$ 2,298,85 – o preço de um novo iPad.

Entrada das teles pode baratear aparelho
Para De Souza, o cenário não é tão ruim. Segundo o consultor, há “ofertas para todos os gostos”. Além disso, a venda do aparelho pelas operadoras – como já ocorre com o arquirrival do iPad, o Galaxy TAB, da Samsung – deve resultar em ofertas mais em conta, graças ao subsídio.

No final, de parceiras no crime do alto custo, as teles podem acabar virando as mocinhas.

“Subsidiar o hardware, vendendo o aparelho por um preço mais baixo, é uma estratégia de fidelização e retenção de clientes que pode acabar influenciando toda a cadeia de mercado. Hoje, todos os varejistas vendem o iPad pelo preço sugerido pela Apple. Quando alguém começar a vender por menos, quem sabe?”, completa De Souza.

Você pode conferir as opções de plano e qual o custo de um iPad 3G ao final de um ano na tabela (em PDF) relacionada abaixo.