Internet rápida pode chegar a 40 mi domicílios

05/05/2010 15:57

Com o entendimento de que banda larga será aquela com velocidade igual ou superior a 512 Kbps, o governo federal quer elevar de 12  para 40 milhões o número de domicílios com acesso ao serviço.

De acordo com o anunciado por uma equipe do governo, nesta quarta-feira, 05, o custo de R$ 15 pelo serviço poderá ser alcançado mediante incentivos fiscais. Sem eles, o preço deverá ficar entre R$ 29 e R$ 35 reais, em função da cobrança ou não do ICMS.

Tamanho da fonte: -A+A

Com o entendimento de que banda larga será aquela com velocidade igual ou superior a 512 Kbps, o governo federal quer elevar de 12  para 40 milhões o número de domicílios com acesso ao serviço.

De acordo com o anunciado por uma equipe do governo, nesta quarta-feira, 05, o custo de R$ 15 pelo serviço poderá ser alcançado mediante incentivos fiscais. Sem eles, o preço deverá ficar entre R$ 29 e R$ 35 reais, em função da cobrança ou não do ICMS.

Com essas medidas, o governo espera que 35,2 milhões de residências tenham acesso ao serviço de internet rápida. Hoje, pela estimativa oficial, o Brasil conta com 12 milhões de domicílios com acesso, cujos preços, na velocidade de 256 Kbps, variam entre R$ 49 e R$ 96.

Para baratear o acesso, o governo planeja oferecer, por meio de abatimento de impostos e outras facilidades, R$ 785 milhões de reais.

Do montante,  R$ 11,36 milhões virão do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para pequenas e médias prestadoras de serviço; R$ 770 milhões virão de abatimentos do PIS e Cofins na compra e fornecimento de modems; e R$ 3,75 milhões da isenção de IPI para equipamentos de telecomunicações com tecnologia nacional.

Uma linha de crédito será disponibilizada pelo BNDES para financiamento e compra de equipamentos de telecomunicações de tecnologia nacional.

De acordo com o coordenador do Programa de Inclusão Digital da Presidência da República, Cezar Alvarez, essa linha não tem limite, mas deverá chegar a R$ 6,5 bilhões para a compra de equipamentos e a R$ 1 bilhão para financiamento de micro, pequenos e médios prestadores de serviços de telecomunicações e lan houses.

Além disso, 1,75 bilhões do Fundo de Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) serão destinados para pesquisa e desenvolvimento.

Telebrás será gestora do PNBL
O governo anunciou nesta terça-feira, 04, que a estatal Telebrás, que será capitalizada com R$ 3,22 bilhões, será a gestora do Programa Nacional de Banda Larga.

O anúncio foi notícia no Baguete, que pode ser conferido na íntegra no link relacionado abaixo.

Veja também

Telebrás vai gerir PNBL

O governo confirmou nesta terça-feira, 04, à Comissão de Valores Mobiliários, a atuação da Telebrás ao Plano Nacional de Banda Larga.

A estatal irá implementar a rede privativa de comunicação da administração federal, com foco no provimento de acesso à Internet para usuários finais “apenas e tão somente” de localidades onde inexista a “oferta adequada” do serviço.

Banda larga: realidade para 16% das empresas

Embora 95% das empresas façam uso da web, a velocidade de conexão ainda é baixa para os padrões internacionis de boas práticas em TIC: a maior delas utiliza conexão entre 256 Kbps e 2 Mbps - apesar de ter existido um impulso de 10% em 2008, para 16%, em 2009.

Um dos entraves seria o custo de contratação do link de maior velocidade,  sendo que 12% das empresas ainda usam velocidades abaixo de 300 Kpbs.

Brasil supera 15 mi de conexões banda larga

O número de conexões de banda larga no Brasil superou as expectativas do IDC: o país chegou a dezembro de 2009 com 15.006 milhões de conexões, quando a previsão inicial da consultoria era chegar a 2010 com 10 milhões de usuários.

Banda larga custa dez vezes mais no Brasil

O acesso à banda larga custa dez vezes mais no Brasil do que em países desenvolvidos, segundo estudo divulgado na segunda-feira, 26, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

De acordo com o levantamento, na renda mensal dos brasileiros o gasto médio com banda larga custava, proporcionalmente, 4,58% do valor total per capita de 2009. Já nos países desenvolvidos o índice esteve em torno de 0,5% no mesmo período.

Lula quer banda larga a R$ 10
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai estudar a criação de uma tarifa social de R$ 10 para a internet de alta velocidade, dentro do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

A proposta foi apresentada ao presidente na noite desta quarta-feira, 09, de acordo com informações do jornal O Globo.