Maurício Kenji Takashima, diretor comercial da Delta Cable

A Delta Cable, distribuidora de soluções para infraestrutura de redes convergentes com sede em Curitiba, aumentou sua receita em 12% no primeiro trimestre de 2011, em relação ao mesmo período de 2010.

A companhia, que em 2010 fechou com receita bruta de R$ 55 milhões, crescimento de 30% em relação a 2009, emprega 120 colaboradores na sede e em seis unidades localizadas em Porto Alegre, Cascavel, Londrina, Florianópolis, Joinville e São Paulo.

Conforme Maurício Kenji Takashima, diretor comercial da Delta Cable, a distribuidora é a maior de seu segmento na região Sul.

“Se os negócios mantiverem os atuais índices nos próximos meses, em breve devemos bater a meta anual de crescimento, projetada em 10% em 2011”, afirma o executivo.

Takashima explica que, no primeiro trimestre deste ano, o aumento nas vendas foi impulsionado pela demanda de redes estruturadas do setor público, atendido por uma rede de canais de integração da distribuidora.

“Muitos dos projetos, focados na modernização das redes em todas as esferas governamentais, vinham sendo negociados desde o final do ano passado, mas acabaram se concretizando nos últimos meses”, afirma o diretor.

Além do governo, o segmento corporativo também se destaca no balanço trimestral da Delta Cable.

Para essa área, o maior volume de venda se concentra, hoje, em cabeamento óptico e metálico, segundo Takashima, mas os pedidos de produtos de certificação de redes, sistemas e câmeras de CFTV e metalurgia (racks e brackets para acomodação dos sistemas ativos e passivos das redes) também vêm crescendo.

“Isso evidencia uma mudança no comportamento das organizações usuárias, que passam a eleger os integradores como parceiros tecnológicos, concentrando todas as demandas de TI em um único fornecedor de serviços”, observa o executivo.

O portfólio da Delta Cable reúne equipamentos de 14 fabricantes, incluindo Furukawa, Fluke Networks, Axis, Sony , Emerson, D-Net  e Aten, entre outros.

Já a carteira de clientes é formada por mais de sete mil organizações, como Copel, Itaipú Binacional, Eletrosul, Petrobras, HSBC, Itaú e Banco do Brasil.