Tamanho da fonte: -A+A

Mesmo antes de seu teste nas lojas, o celular inteligente com sistema operacional MeeGo, da Nokia, teria sido cancelado, informa nessa quarta-feira, 09, a agência Reuters, citando duas fontes não identificadas da indústria.

Um porta-voz da Nokia se recusou a comentar o assunto.

Considerada uma arma fundamental para a Nokia na briga contra o iPhone, da Apple, e os aparelhos com o Android, do Google, a MeeGo mesclou duas plataformas: Maemo e Moblin, respectivamente da própria Nokia e da Intel, ambas baseadas em Linux.

No meio do ano passado, a Nokia informou que utilizaria o MeeGo nos celulares da linha N-series, sendo o N8 o último da linha equipado com o Symbian. Os planos para criação do MeeGo foram anunciados há exatamente um ano, em fevereiro de 2010.

Apesar da descontinuação, analistas afirmam que a Nokia ainda pode apresentar o equipamento com o MeeGo, mesmo que não esteja finalizado, durante evento com investidores em Londres, na sexta-feira, ou em coletiva de imprensa em Barcelona, no domingo.

É esperado um novo modelo da linha N-Series, o N9.

Segundo dados da comScore de dezembro de 2010, a Nokia sequer figura entre os cinco maiores vendedores de smartphones nos Estados Unidos.

Fatia que encolhe
Já a Gartner divulgou nessa quarta-feira, 09, uma queda de 9,5 pontos percentuais na participação da Nokia no mercado de celulares, com fatia de 27,1% no último trimestre de 2010, na comparação com o mesmo período um ano antes.

O Symbian, plataforma da finlandesa, continua a declinar, com 32,6% no 4T10, em comparação com os 37,6% do 4T09.

A previsão da Gartner é que o Android – atualmente com 30,8% do mercado – passe o Symbian como a plataforma mais utilizada no mundo entre o segundo e o terceiro trimestre de 2011.

Com o iOS, a Apple teve 16% de mercado no quarto trimestre de 2010.

No balanço de 2010, a Nokia segue liderando o ranking de aparelhos vendidos, com 28,9% de mercado, seguida por Samsung (17,6%), LG (7,1%), RIM (3%), Apple (2,9%), Sony Ericsson (2,6%), Motorola (2,4%), ZTE (1,8%), HTC (1,5%) e Huawei (1,5%).

Em sistemas operacionais, o Symbian também fechou o ano passado na ponta, com 37,6% de participação, seguido por Android (22,7%), RIM (16%), iOS (15,7%) e Microsoft (4,2%).