O município de Candiota – localizado a 391 quilômetros de Porto Alegre – inaugurou na última semana de dezembro a etapa local do projeto Municípios Digitais, que implementa banda larga entre órgãos e serviços públicos em cidades gaúchas.

São 29 pontos conectados – 24 por rádio e cinco por fibra óptica em Candiota.

Três empresas gaúchas participaram na implementação do projeto: Viksul Telecomunicações Comércio e Serviços Ltda, vencedora da licitação, Parks, que fornece o rádio, e a Datacom, fornecedora dos switches.

A velocidade mínima é de 3 Mbps por ponto, podendo chegar a 6 Mbps em hospitais.

Com orçamento total de  R$ 844 mil o programa une Secretaria da Ciência e Tecnologia, CEEE, Procergs e a prefeitura para implementação da rede. Além de Candiota, as cidades de Piratini e Camaquã serão contempladas.

A ideia é ampliar a conectividade no atendimento a escolas, postos de saúde, hospitais, bombeiros, polícia civil, brigada militar e os demais órgãos da administração pública municipal e estadual.

Conexão na cidade e na área rural
Localizado na região sudeste, Candiota tem 8.776 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo 70,37% da população localizada nas zonas rurais.

Para o prefeito, Luiz Carlos Folador, o projeto possibilitará melhorias na prestação de serviços públicos à comunidade. Entre eles, o Tele-ECG, que possibilita o atendimento à distância de pacientes com diagnóstico de emergências cardiovasculares.

Segundo o secretário da Ciência e Tecnologia na época da implementação, Eduardo Macluf, o projeto deverá beneficiar, também, os candiotenses do campo.

“O Candiota Digital fará a integração de serviços à população tanto do meio urbano quanto do rural”, declarou.

Serão quatro escolas estaduais e oito municipais conectadas, além de um hospital, cinco postos de saúde e outros sete órgãos municipais e quatro estaduais.

“Inclusive uma das escolas fica num assentamento, a 70 quilômetros da sede”, destaca o engenheiro Eberson Silveira, gerente de projetos de TIC e redes de convergência da SCT.

Segundo Silveira, a conexão usará parte da rede de fibras da CEEE entre Candiota e Guaíba, chegando até a sede do município. De Guaíba, o sinal vai até Porto Alegre via rádio e mix de fibra.

O caminho é similar ao utilizado pela Companhia Riograndense de Mineração (CRM), que aumentou a velocidade da sua banda de 1 Mbps para 10 Mbps usando a rede de fibra ótica da empresa de energia elétrica.

Complementando a rede em Candiota, foram instalados 1.538 metros de fibra ótica na cidade, conectando órgãos municipais.

Demanda antiga
Em Candiota, o projeto foi inaugurado na última semana de dezembro. Os próximos municípios digitais são Piratini e Camaquã, ambos na zona sul do estado, a 341 e 122 quilômetros da capital, respectivamente.

Em junho de 2009, a reportagem do Baguete Diário acompanhou o encontro entre uma comitiva de empresários de Sobradinho, município da serra a 230 km de Porto Alegre, reivindicando junto à Brasil Telecom uma conexão mais estável e de velocidade melhor.

Na época, a SCT já falava do projeto município digital, com uso da rede da CEEE.