Tamanho da fonte: -A+A

Cerca de 2,5 milhões de brasileiros investem em torno de R$ 3,40 semanais na busca de um parceiro amoroso via solução de paquera pelo celular.

Este é o número de usuários no país do Club KdVc, comunidade criada com a finalidade de unir casais via mensagens de texto SMS e que registrou, só na manhã desta sexta-feira, 11, em torno de 12 milhões de acessos.

“Em outros países não registramos aumentos exponenciais em datas como o dia nos namorados. O número de hoje representa um acesso entre 30% e 40% acima da média e certamente sofre influência da data”, acredita afirma Bruno Grassi, especialista em mobile dating da Zero9 do Brasil, empresa responsável pelo Club KdVc.

Além disso, segundo Grassi, o mês dos namorados deve gerar cerca de 100 mil novos adeptos do serviço, que já conta com 4,5 milhões de usuários no mundo, mais da metade deles concentrados no Brasil.

Só em 2009, o faturamento da Zero9 foi de R$ 25 milhões no país, e a expectativa para 2010 é crescer 40% e conquistar cinco milhões de novos adeptos.

“Observamos com os brasileiros o mesmo sucesso que tiveram as redes sociais como Orkut e Facebook. Isso se deve a uma necessidade cultural, de se comunicar e criar sua própria comunidade, ainda que virtual”, analisa o especialista.

Os usuários brasileiros, conforme informações da Zero9, são jovens entre 18 e 35 anos, 9% deles homossexuais, e a maioria residente em estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia.

“Há 20 anos, quando se usava muito os chats online, as pessoas que recorriam ao serviço geralmente eram inibidas. Hoje é outra realidade, temos clientes de todos os níveis sociais e os tímidos que não procuram um par na vida real já não são mais a regra. A sociedade anda cada vez mais carente e com menos de tempo de procurar por um parceiro, o que justifica o sucesso da ferramenta”, destaca Grassi.

Mobile dating: paquera em qualquer lugar
O Club KdVc, solução conhecida como mobile dating, surgiu na Itália e foi trazido para o país em 2007 pela Zero9, webcompany italiana especializada em serviços para telefonia móvel e com unidade em São Paulo.

Compatível com qualquer tipo de celular, a solução aposta na mobilidade para conquistar assinantes.

Na comunidade, cada usuário tem um perfil onde cadastra suas informações e preferências de parceiro. O cadastro pode ser feito pela internet, SMS ou App.

São dois modelos de negócio: a assinatura com custo semanal entre R$ 3,40 e R$ 3,99, que dá direito a mensagens ilimitadas, ou a cobrança por mensagem individual.

A partir daí, o software busca perfis de almas-gêmeas em potencial e envia ao participante - tudo feito via SMS, do cadastro ao primeiro contato com os membros do clube.  

“Ninguém mais sai de casa sem celular, então enquanto nossos concorrentes trabalham exclusivamente online, no KdVc é possível de acessar de qualquer lugar, sem a necessidade de um computador ou mesmo smartphone”, enfatiza o executivo.

Entretanto, a Zero9 não descarta as funcionalidades que a web permite: até o final do ano deve ser lançada a versão 2.0 do serviço, que permitirá que parte do procedimento aconteça gratuitamente pela internet.

A nova versão da ferramenta irá permitir que o usuário crie uma página, no estilo de um blog pessoal, onde poderá colocar fotos, vídeos, procurar pessoas online, participar de promoções para casais que se conheceram no clube e outras atividades interativas que o celular hoje não permite.

A ideia compreende a criação de um blog para publicar os cases, visto que alguns usuários enviam e-mails e cartas agradecendo por terem encontrado sua cara-metade, sendo que alguns até resultam em casamento.

“Experiência pessoal com a utilização das ferramentas não tenho, mas possuo a profissional. Faço parte de redes sociais e procuro utilizar todas elas, até para saber o que a concorrência está fazendo e o que é tendência no mercado”, revela Grassi.