A Delta Cable fechou um acordo para distribuir as soluções da fabricante sul-coreana de máquinas de emendas de fibras ópticas Ilsintech no Brasil.

A distribuidora, que tem sede em Curitiba e, segundo dados próprios, é a maior de seu setor no Sul do país, aposta na parceria para atingir 30% do volume de instaladores especializados em todo o território nacional.

Mercado que, conforme mapeamento realizado pela empresa, reúne cerca de 400 companhias focadas no atendimento da demanda para construção de redes ópticas de alta velocidade por operadoras de Telecom e ISPs (Internet Service Providers).

Segundo Maurício Kenji Takashima, diretor comercial da Delta Cable, os produtos da Ilsintech facilitam a instalação dessas redes por incorporarem recursos que automatizam o processo de fusão das fibras, reduzindo riscos de erros humanos, tempo de entrega da obra e custos de manutenção.

Pelo acordo, começam a chegar ao Brasil as máquinas de emendas Swift F1 e Swift S3 da Ilsintech, além dos conectores ópticos Splice-ON (com emenda) da marca.

“Neste momento estamos homologando os produtos junto às operadoras. A partir de agosto pretendemos iniciar o processo de capacitação e treinamento do canal”, informa o executivo.

Cinco em um
Takashima destaca, no portfólio da Insiltech, a Swift F1, máquina portátil, com peso de 1,5 kg, projetada para executar cinco diferentes funções: decapar, limpar, clivar, emendar e proteger as fibras.

“A preparação das fibras em um projeto de integração de rede óptica é uma parte do processo que demanda tempo e competência dos instaladores, particularmente na etapa da fusão das fibras, que devem ser perfeitamente alinhadas para não impactar na disponibilidade e segurança da rede”, ressalta Fabiano Morato, gerente de produtos da Delta Cable.

Segundo ele, o modelo cinco em um alinha fibras com precisão e possibilita a montagem de conectores pré-polidos, otimizando tempo e eliminando os principais problemas da conectorização em campo.

“Há também redução dos elevados custos de manutenção da rede”, comenta Morato. “Outra vantagem que oferecemos, na distribuidora, é a oferta das máquinas, conectores, peças de reposição à pronta-entrega e também assistência técnica local”, completa.

Quanto aos conectores ópticos Splice-ON, o gerente explica que são desenvolvidos para uso conjunto com a Swift F1.

“Eles são ideais para aplicações em redes Lan Ethernet, CATV e FTTx e tornam desnecessário o uso de kits de conectorização em campo, melhorando a organização das fibras dentro dos DIOs”, salienta Morato.

Ainda segundo ele, também dispensam ferramentas e insumos adicionais, como clivadores, decapadores, lixas e colas.

O outro modelo de máquina de emenda da Ilsintech, a Swift S3, também é portátil e executa a fusão das fibras com alinhamento pelo núcleo (tecnologia IPAS).

O equipamento serve a diferentes tipos de fibras -  monomodo, DSF, NZDSF e multimodo, entre outras -,  e executa programações de 100 tipos de emendas e 50 de aquecimento.

“A máquina também tem desempenho estável em ambientes hostis, resistindo a impactos, poeira e chuvas, além de executar automaticamente a calibração de arcos através da detecção de condições do ambiente, como temperatura, umidade e pressão”, conclui o gerente.

A Delta Cable, que fechou 2010 com receita bruta de  R$ 55 milhões, crescimento de 30% em relação a 2009.

Além da sede curitibana, a companhia possui outras seis unidades de negócios em Cascavel, Londrina, Florianópolis, Joinville e Porto Alegre, além de São Paulo.

O portfólio da distribuidora reúne 14 fabricantes dos segmentos de cabling (Furukawa, Fluke Networks, Brady, Attic, IP Metal, Remaster, Hellermann Tyton, Sollan e Ilsintech) e de networking (Axis, Sony, Emerson, SMC Edge-core, D-Net  e Aten).

Já a carteira de clientes passa de sete mil organizações, incluindo nomes como Copel, Itaipú Binacional, Petrobras, Itaú e Banco do Brasil, atendidos por uma equipe de 120 colaboradores diretos, além dos canais.