Telebrasil critica Anatel sobre banda larga

13/08/2010 11:12

A Anatel, que desde o ano passado vem acenando com a possibilidade de estabelecer metas de qualidade para banda larga fixa e móvel, fez uma reunião na quarta-feira, 11, com representantes do setor para debater como serão estabelecidos estes índices.

Tamanho da fonte: -A+A

A Anatel, que desde o ano passado vem acenando com a possibilidade de estabelecer metas de qualidade para banda larga fixa e móvel, fez uma reunião na quarta-feira, 11, com representantes do setor para debater como serão estabelecidos estes índices.

As teles, entretanto, não estão felizes com a possibilidade: conforme a Telebrasil, entidade que representa as empresas do setor, a entrega de conexão com um porcentual mínimo de transmissão não é possível, por conta de limitações tecnológicas.

A Telebrasil solicitou à Anatel que as análises sobre a qualidade de entrega da banda larga levem em consideração as características do serviço, das redes e das tecnologias envolvidas, além das diferentes geografias para prestação do serviço móvel e fixo.

Uma pesquisa da entidade demonstra que só é possível oferecer banda larga com garantia da velocidade mínima dentro de uma mesma rede. Mesmo assim, esse controle extrapola os limites da operadora.

Por exemplo: quando o internauta do domínio de uma rede controlada é encaminhado para a internet pública, a garantia de entrega dos pacotes de dados não é previsível, informa a Telebrasil.

Segundo o estudo da entidade, a maior parte do tráfego de internet da América Latina está relacionado ao acesso a servidores de conteúdo localizados em outros continentes, principalmente na América do Norte, informa o ComputerWorld.

Já no caso da banda larga móvel, que não trafega exclusivamente por meio físico, a Telebrasil argumenta que barreiras naturais associadas à geografia interferem na velocidade de acesso.

Outros serviços que também usam tecnologia sem fio podem sofrer oscilações.

Veja também

Anatel: fim da venda casada de banda larga

A Anatel adotou medidas cautelares contra operadoras no tocante à venda casada de banda larga, entre outras práticas.

Conforme nota da agência reguladora de telecomunicações, o superintendente de serviços privados interino adotou "medidas acautelatórias" contra Brasil Telecom (do Grupo Oi), Companhia de Telecomunicações do Brasil Central (CTBC), Global Village Telecom (GVT), Telemar Norte Leste (Oi) e Telecomunicações de São Paulo (Telesp - Telefônica).

Anatel: metas de qualidade para 3G

A Anatel aprovou a criação de metas de qualidade para a banda larga móvel nesta quinta-feira, 07.

Os indicadores de performance serão a taxa de conexão ao acesso para disponibilidade, taxa de queda, para estabilidade e entrega de velocidade contratada, estabelecendo patamares mínimos de entrega da conexão, informa a Agência Estado.

Anatel vai ampliar espaço para serviço móvel

A Anatel anunciou na quinta-feira, 05, uma mudança na divisão do espectro de radiofrequência para aumentar o espaço destinado serviço móvel.

Conforme o conselho diretor da agência, a meta é destinar, por meio de licitação, parte da frequência de 2,5 Ghz, atualmente usada apenas pelo serviço de TV por assinatura via microondas (MMDS), para empresas de telefonia, com foco em transmissão de voz, imagem e banda larga.

Anatel quer banda larga para 165 mihões
O presidente Luis Inácio Lula da Silva recebe até a terça-feira, 24, um projeto para ampliar o acesso à Internet banda larga no país.

De acordo com o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, o governo tem expectativa de ampliar o número de acessos à Internet banda larga para 165 milhões até 2018. Atualmente, segundo ele, existem 15 milhões de acessos no país.