O Serpro está concluindo a modernização do seu núcleo de redes com a adoção de 10 switches de backbone de alto desempenho da Extreme Networks em substituição a antigos equipamentos fornecidos pela Cisco Systems.

A licitação foi vencida pela Damovo, com uma oferta de R$ 1,5 milhão.

Com o projeto, o backbone corporativo da Serpro passa a oferecer maior capacidade de tráfego com suporte a múltiplos serviços convergentes de voz, dados e aplicações de vídeo.

A velocidade nos uplinks (links que trafegam dados dos pontos para a rede) é de 1 Gbps, mas apresentou um incremento de desempenho em algumas conexões de servidores, que migraram da tecnologia Fast Ethernet (10/100 Mbps) para Giga Ethernet (1 Gbps).

De acordo com Salvador Luiz Annunciato, gerente de divisão do Serpro, o antigo parque de switches do núcleo central da rede (assentado na plataforma Catalyst 4006 da Cisco) estava defasado tecnicamente, e já fora de linha, sendo que o fabricante já não dispunha de peças de reposição.

“Com a garantia já expirada, qualquer manutenção se tornaria inviável. E a probabilidade de parada era cada vez maior”, aponta Annunciato.

A rede do Serpro provê serviços de transmissão de dados que cobre todas as transações da sua sede em Brasília (DF) e de 10 unidades regionais (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre), incluindo-se aí o Centro de Dados de São Paulo. São 10 mil funcionários ao todo.