Mike Lazaridis

Tamanho da fonte: -A+A

O CEO da RIM, fabricante do BlackBerry, admitiu que a empresa não sabe o motivo da falha por quase três dias nos serviços da empresa, ocorrida durante essa semana.

“Não sabemos por que o servidor falhou e por que o serviço não foi transferido para um sistema alternativo”, disse Mike Lazaridis.

Perguntado sobre o por que a empresa não pôde evitar backlogs de tráfego de rede alterando o roteamento e ignorando o data center de Slough, a RIM não deu uma resposta direta.

Em vez disso, afirmou que a companhia usa um “complicado sistema global” e não queria “infectar” outras partes da rede e que escolheu “tomar essa decisão”.

Segundo o site Computerworld inglês, na verdade, a RIM não tinha capacidade de alterar o tráfego dos países que enfrentavam problemas no uso dos BlackBerrys, já que o servidores de Slough é um dos dois maiores centros de operação de rede usados pela RIM.

O resultado foi o que o Slough parou, e fez outras partes do sistema e toda a rede da RIM sair do ar.

A tecnologia de rede da RIM oferece a vantagem de geralmente entregar e-mails de usuários de forma rápida por meio da compressão de dados.

Ela também permite que a empresa criptografe totalmente os dados enviados pelos usuários - um conceito que alguns governos do Oriente Médio e da Índia, por exemplo, não gostam.

Porém, a terceira grande a falha da rede BlackBerry desde 2007 deve colocar o sistema sob uma análise mais aprofundada, especialmente frente à concorrência atual do iPhone e do Android.

Leia a matéria completa da Computerworld, no IDG Now, acessando os links relacionados abaixo.