Tamanho da fonte: -A+A

A RIM teve uma queda de 27% no lucro trimestral do período encerrado em 26 de novembro.

E a má fase não se encerrou ao mês passado. Segundo a empresa, as vendas do BlackBerry, carro-chefe da companhia, devem ficar entre 11 milhões e 12 milhões no próximo final de ano.

Trata-se, diz a agência Reuters, do primeiro declínio em anos das comercializações do período.

O número ainda não inclui uma baixa contábil maciça referente aos tablets  Playbooks não vendidos ou uma cobrança associada a uma queda do serviço de outubro. Conforme o balanço, a receita da companhia foi de US5,2 bilhões.

Considerando a baixa contábil de US$ 485 milhões antes de impostos com PlayBook, lançado em abril desse ano, e um processo de US$ 54 milhões relacionados com interrupção de serviços, a RIM teve um lucro de US$ 265 milhões, ou 51 centavos por ação.

No mesmo trimestre do ano passado, a RIM teve lucro de 911,1 milhões de dólares, ou US$ 1,74 por ação, sobre vendas de US$ 5,5 bilhões.

Em julho, a empresa já demitiu 10,5% dos seus funcionários.

O contra-ataque envolve também medidas que afetam os executivos da companhia. Segundo o jornal Financial Times, o alto escalão da empresa passará a ganhar um salário de US$ 1 no próximo ano.

Além disso, informa a publicação, o lançamento do novo sistema operacional da marca foi atrasado em seis meses, para a segunda metade de 2012. Em princípio, num esforço de preparação da plataforma para competir com o iOS (Apple) e o Android (Google).