As eleições estão aquecendo os negócios da CryptoCell, empresa paulista especializada em sistemas de criptografia para celulares e smartphones.

A companhia registrou alta de 35% nas vendas ao longo do primeiro semestre de 2010. O aumento é atribuído à busca de busca de proteção contra a espionagem e a guerra de dossiês.

Além do maior volume de encomendas, a CryptoCell vem registrando maior participação nos pedidos originados em regiões fora do eixo Rio-São Paulo e Brasília.

Enquanto em períodos normais o DF e os grandes municípios destes dois estados respondem por 70% das vendas, ao longo do primeiro semestre, as demais regiões do país passaram a responder por 45% dos pedidos, em função das disputas locais.

Como funciona
A solução CryptoCell introduz nos celulares e smartphones uma matriz criptográfica de 1024 bits com codificação no padrão RSA. Além da criptografia de voz, a empresa oferece também um módulo opcional para a codificação de mensagens em SMS.

O software, cuja licença sai por R$ 1,8 mil, pode ser enviado por internet instalado em diversos modelos de celulares e smartphones das marcas Nokia e HTC através de conexões USB com o computador do usuário.