Armando Camargo

A Cisco oficializou nesta segunda-feira, 19, a compra da Tandberg por US$ 3,8 bilhões. A aposta da companhia, que passou a deter 91,1% das ações da adquirida, é crescer no mercado mundial de telepresença, que deverá movimentar US$ 34 bilhões até 2012, segundo dados divulgados pela própria Cisco.

Um mercado que a Tandberg conhece bem: a companhia tem 42% de share global em comunicação por vídeo. E os planos impulsionados pela incorporação à Cisco deverão respingar no Brasil, onde a empresa pretende dobrar de tamanho e liderar seu setor em dois anos, favorecendo regiões como o Sul, onde o clima frio ajuda nas vendas.

“Dados mundiais mostram que a vídeo-conferência é mais forte em regiões onde são constantes a chuva e as temperaturas baixas. São fatores que dificultam deslocamentos, então esta tecnologia é bastante aproveitada”, explica Armando Camargo, diretor da Tandberg no Brasil.

O executivo, que assumiu a operação em janeiro deste ano, afirma que para chegar à liderança nacional em dois anos, a meta da companhia é atacar os mercados de governo, com destaque para as áreas de saúde e educação, segmentos verticais e grandes corporações.

Soluções específicas para pequenas e médias empresas também não ficam de fora da estratégia, o que converge com os interesses da Cisco: conforme o vice-presidente sênior da Cisco para o Grupo de Negócios em Tecnologias Emergentes, Marthin de Beer, a compra da Tandberg reforça a estratégia da empresa de reduzir a complexidade e ampliar a usabilidade das soluções de telepresença, permitindo a ampliação no escopo de usuários.

De Beer também aproveitou seu discurso, realizado via webcast para a imprensa de todo o mundo nesta segunda-feira, 19, para apresentar Fredrik Halvorsen, ex-CEO da Tandberg, como novo líder do Grupo de Tecnologia TelePresence da Cisco.

Com a incorporação, a força de vendas das duas companhias também passa a ser única. Assim, a Cisco passa a contar com mais de 30 novos canais no Brasil, componentes de uma base que a Tandberg pretende especializar ainda mais em 2010.

“Entre os investimentos programados para este ano, está a qualificação dos canais, mais do que a expansão da rede. Vamos especializar os parceiros para que nos ajudem a fortalecer, no mercado, a cultura sobre os verdadeiros benefícios oferecidos pela videoconferência”, ressalta Camargo.

Tais benefícios, segundo o diretor da Tandberg no Brasil, vão além da possibilidade de interação à distância.

“Não se trata somente de acessar uma solução, ver e falar com outras pessoas à distância”, explica Camargo. “Trata-se de interatividade, da possibilidade de trabalhar, de produzir mesmo, com equipes dispersas”, define.

A economia gerada pelas soluções de telepresença varia de acordo com o porte da corporação e seu ramo de atividade, segundo o executivo.

Se é uma empresa muito grande, com muitos funcionários e equipes bastante distribuídas, economizará mais, devido à redução nos custos com passagens e estadia quando da necessidade de reuniões.

“O aumento de produtividade é evidente. Com estas soluções é possível, por exemplo, que vários médicos observem um paciente internado, a partir de diversos lugares do mundo”, explica o diretor. “Outro caso é o de empresas cujo trabalho requer visitas constantes a plantas produtivas que ofereçam algum tipo de risco. Se a vistoria for feita por telepresença, o risco é eliminado, o que traz, inclusive, economia com seguros de vida e saúde”, complementa.

Engenheiro eletrônico formado pela Fundação Armando Álvares Penteado, Camargo tem pós-graduação em Marketing pela ESPM e MBA pela Fundação Getulio Vargas.

Antes de ingressar na Tandberg, foi diretor regional da Tellabs por quatro anos e diretor de Canais da Lucent por outros quatro.

Antes disso, atuou como gerente de Desenvolvimento de Negócios da Motorola por nove anos, dos quais três nos EUA.

A aquisição

Nos próximos meses, a meta da Cisco é tornar-se a única acionista da Tandberg. Para tanto, a subsidiária Cisco Systems Netherlands Holdings BV (Cisco BV) irá adquirir todas as ações em circulação da companhia, através de uma aquisição compulsória.

Com a compra, toda a linha de produtos Tandberg passa a fazer parte do portfólio de TelePresença da Cisco, proporcionando a oferta combinada de soluções de infraestrutura e terminais baseados em rede, tudo desenhado com foco na interoperabilidade entre múltiplos fornecedores de equipamentos.