Tamanho da fonte: -A+A

Se o Tribunal de Falências do Distrito de Delaware, EUA, aprovar, esta semana a Microsoft se tornará controladora dos endereços IPv4, hoje de propriedade da Nortel, empresa em processo de falência.

A negociação envolve o pagamento, pela Microsoft, de US$ 11,25 por endereço.

Ao todo, são US$ 7,5 milhões pela compra de um bloco de 666.624 IPv4, dos quais cerca de 470 mil estarão disponíveis para uso imediato pela MS, enquanto o restante será liberado para a empresa no final do processo de falência da Nortel.

A notícia do acordo proposto entre as duas companhias surge poucas semanas após a Icann anunciar que entregou o seu último bloco de endereços IPv4, e que quaisquer fontes restantes com registros regionais acabariam em breve.

Conforme analistas do mercado de Internet, há a tendência de que, em função da entrega da Icann, surja um “mercado negro” para os endereços IPv4, já que sua oferta começa a cair e mais organizações se deparam com os custos e riscos envolvidos em uma migração para o protocolo IPv6.

Segundo divulgado pela Icann, tanto a entidade quanto registradores regionais têm observado que os endereços IPv4 restantes vão para detentores que demonstram ter necessidade imediata para eles.

No caso da Microsoft, a compra do bloco de endereços da Nortel gera polêmica.

Conforme analistas e participantes de fóruns online ligados ao American Registry for Internet Numbers (ARIN), a companhia norte-americana não poderia adquirir os endereços, já que as políticas do próprio Arin exigem que os blocos da Nortel vão para um fundo comum, onde outros possam utilizá-los.

“A organização beneficiária tem de mostrar que a necessidade tem justificativa", avalia um post, que avalia a possibilidade de compra da Microsoft apenas em caso de a empresa demonstrar e comprovar a necessidade imediata de aquisição do lote.

Do contrário, a compra poderia ser somente voltada à revenda posterior dos lotes, o que não é visto como correto pelo Arin.

De qualquer forma, a decisão está, por enquanto, nas mãos do Tribunal de Falências de Delaware, e um desfecho para o caso deve ser anunciado nas próximas semanas.

A Nortel pediu proteção contra falência em janeiro de 2009. Desde então, tem vendido seus ativos para tentar levantar dinheiro para pagar os credores.

De acordo com documentos judiciais, a Nortel começou a tentar vender os números IP no final de 2010, após perceber seu valor potencial.

Desde então, a companhia canadense recebeu consultas de 80 potenciais interessados e acordos de confidencialidade foram assinados com 14 deles.

A empresa recebeu ofertas finais de quatro compradores em janeiro deste ano e decidiu-se em março pela oferta da Microsoft, que era a maior.