Luiz Carlos Scheid, sócio-diretor da Teclógica

A Teclógica, empresa focada em soluções de gestão dos processos de TI e negócios com sede em Blumenau, decidiu estrear em duas frentes de negócios: telefonia digital/comunicações unificadas, com lançamento de três produtos, e vendas indiretas, com início de uma rede de canais.

O novo portfólio, que larga com três lançamentos, já rende frutos: em menos de um mês, cinco clientes foram conquistados, número que a empresa projeta dobrar no próximo mês, segundo o diretor de Infraestrutura, Clóvis Vasselai.

E no primeiro ano, a meta é que a nova área responda por cerca de 10% do faturamento, que hoje fica na casa dos R$ 15 milhões anuais.

“Trata-se de um mercado aquecido: segundo relatório da Frost & Sullivan, o VoIP movimentou R$ 500 milhões no Brasil em 2010, com previsão de crescimento acima de 20% em 2011”, destaca o executivo.

Entre os lançamentos, estão o Gateway VoIP, para encaminhamento de ligações por rota de menor custo previamente programada através da tecnologia SIP (Session Initiation Protocol) que complementa as redes de dados baseadas em IP, links de telefonias convencionais e celulares.

Outra novidade é a Central IPBX, que recebe, realiza e distribui as ligações entre os ramais de uma empresa.

Completa o portfólio o Call Center, que, juntamente com a Central IPBX, fornece recurso de fila de atendimento e recebimento de chamadas através de menus.

Economia
Conforme Vasselai, as soluções permitem reduzir em até 30% os gastos das companhias usuárias com comunicação.

Já na instalação das ferramentas, a economia pode ser ainda maior, chegando a 40% em relação à telefonia convencional.

Em construção
O executivo destaca que, este ano, a Teclógica pretende se fortalecer no mercado das novas ferramentas, no qual é nova.

Nova em venda, não em uso: Vasselai explica que o investimento na telefonia digital partiu de experiência da própria Teclógica, que viu seus custos reduzirem muito quando aderiu à estas soluções.

“Observamos os resultados e criamos nossas ferramentas, que hoje permitem economiz aos nossos clientes”, afirma ele.

Canais
Também é novidade na Teclógica o início da atuação indireta.

Hoje, cerca de 20% das vendas da companhia ficam na região Sul, mas há clientes não só em todo o país, como também no México, Argentina e Caribe.

E tudo vinha sendo atendido a partir de Blumenau, via remota, ou com envio/alocação de profissionais, quando necessário.

“Em alguns casos, também firmamos parcerias locais”, explica o sócio-diretor da empresa, Luiz Carlos Scheid.

Com a ampliação da oferta, porém, o aumento da capacidade de venda e atendimento se tornou imprescindível.

Assim, um canal já está em formação, para atendimento à região Sul, e até o ano que vem outras quatro parcerias serão firmadas.

“O próximo canal deverá ser instalado no Sudeste”, conta Vasselai, sem detalhar o exato local de instalação do parceiro.

A empresa
No mercado há 17 anos, a Teclógica atua, tradicionalmente, em serviços de consultoria, desenvolvimento de sistemas e gerenciamento de aplicações, com certificações CMMi em cada uma destas áreas.

A empresa atende a clientes como Souza Cruz, Bunge e AES Sul.

O investimento em comunicações unificadas não é a primeira guinada no portfólio da companhia: em abril deste ano, a empresa catarinense já havia anunciado aporte de R$ 1 milhão, a ser realizado ao longo do ano, no desenvolvimento de soluções focadas em SOA  e BPM.

Para isso, abriu uma unidade de negócio em consultoria para estas áreas, com meta de que a nova operação corresponda, em dois anos, a 30% do faturamento geral.